Archive for the Aprenda a vencer usando as táticas de Deus. Category

Aprenda a vencer usando as táticas de Deus.

Posted in Aprenda a vencer usando as táticas de Deus. on 19/09/2008 by Carlos Eduardo

Aprenda a vencer usando as táticas de Deus.

O livro me mostrou um ponto chave: Renuncia. Na vida temos várias áreas nos quais enfrentamos diariamente barreiras, impecílios ou até mesmo ação do inimigo, porém após a leitura do livro, pude compreender que a única maneira de ganhar é perdendo.

É estranho pensar nesse aspecto hoje, ainda mais com a realidade de consumismo e competição que vemos em qualquer lugar da sociedade, inclusive muitas vezes dentro da igreja.

O livro começa com Loren contando uma experiência que tivera com sua esposa Darlene, quando na ocasião eles sofreram um acidente e ela supostamente havia falecido, e Loren se entrega à vontade de Deus e ainda se dispõe a servi-lo, mesmo levando sua esposa. No incidente após a oração de Loren, sua esposa misteriosamente mostra sinais de vida e consegue sobreviver ao acidente. Uma das frases que ele usou  neste capítulo que me impactou foi: “Quando abrirmos mão de nossos direitos pessoais, entregando-os ao Senhor, por amor a ele e ao evangelho, descobrimos o segredo de herdar para ele o mundo todo.”

No segundo capítulo intutulado “Caminhando Descalço”, Loren levanta um ponto que na minha opnião é muito importante, que é se apresentar diante de Deus descalço. Como é retratado no livro, na antiguidade quem andava descalço denunciava sua condição de escravo, ou seja, devemos nos apresentar diante de Deus com total dependência dEle, sabendo sempre que nada vem de nós, e sim dEle, tudo depende dEle, desde de bens materiais, sociais e materiais. Alguns exemplos de tal demosntração são encontrados na bíblia, como Moisés no seu encontro com Deus à sarça ardente, Boaz negociando o direito de se casar com Rute o outro tirou as sandálias para fechar negócio, o rei Davi quando derrotado saiu de Jerusalém descalço e Jesus ao se encaminhar para o Calvário. Um dos pontos que me chamou a atenção foi o do próprio matrimônio, que na verdade devemos dar também esse direito, renunciar para Deus, que no fim certamente Deus saberá o que fazer. A bíblia diz que não é bom para o homem que seja só, então Deus sabe disso e saberá quando é a hora certa de dar-nos esta benção, porém a renuncia do mesmo é um ato de total dependência de Deus. Loren coloca uma fórmula bastante interessante que acho interressante ressaltá-la aqui, por achar realmente verdade: Responsabilidade – Direitos = Bênçãos no relacionamento com Deus.

Uma frase que me chamou muita atenção no 4º capítulo foi: “A carteira é a última coisa que se converte no homem”. É muito engraçado porém verdade. Até os bens materiais nós devemos estar prontos para renunciar, pois Deus supre todas as coisas e é sábio na administração do mesmo. Hoje os cristãos do mundo todo pederíamos acabar com a fome do planeta, porém por que não o fazemos? Talvez seja esta questão de se apegar tanto ao dinheiro ou o fato de não saber utilizá-lo e quem sabe até o próprio egoísmo nas igrejas? Más de uma coisa eu sei, se realmente deixássemos Deus tomar conta da nossa vida financeira e renunciassemos de nossos bens materiais o mundo concerteza seria um lugar melhor.

No livro ressalta certa ocasião em que um pastor batista recebeu uma chamada pra pregar para os católicos aqui da América do Sul, porém ele disse à Deus que não concordava com as coisas que eles creêm, porém Deus replicou dizendo que não concordava com tudo que ele cria também. Sinceramente, para mim foi uma pancada na cara.

         O direito da própria vida também é um ponto no qual devemos seguir. Jesus suportou a cruz e a morte em troca da alegria e lhe estava proposta. Ele manteve os olhos fixos na recompensa que receberia. Da mesma forma Estevão, o primeiro mártir do cristianismo, ao morrer, não chorou nem gritou de dor. Pelo contrário, demonstrou grande alegria e emoção, pois viuos céus abertos para ele, e avistou o Senhor de pé à destra de Deus Pai.

Há um relato no livro que me surpreendeu onde pessoas no fim dos tempos diante do trono de Deus, indagando e murmurando se perguntando por que Deus podia julgar. Muitos deles haviam sofrido um bocado, cada um na sua realidade e sofrimento. Eles fizeram um voto dizendo que Deus deveria passar por tudo aquilo que eles passaram para ver se ele iria aguentar. Dentre todos os problemas, cada um foi falando um dos maiores sofrimentos que haviam passado na Terra, e que Deus deveria passar também. Qaundo se derem conta, perceberam que isto já havia sido feito, que Jesus foi na Terra e sofreu exatamente todos os pontos nos quais eles queria que ele sofresse. Foi então que o silêncio reinou naquele lugar, com todos compreendendo que Deus havia passado pelos males da Terra.

O livro também fala sobre o inimigo. É engraçado como o livro traz realidades que vemos todos os dias nas igrejas. Normalmente os crentes colocam Satanás como o negativo de Deus, como se ele fosse todo poderoso e podesse qualquer coisa que quizesse. No livro Loren comenta que em questões de semanas ele passava por continentes diferentes e na maioria dos lugares que ele ia, diziam que o diabo estava tentando. Porém o diabo não é onipresente como Deus, ele só pode estar em um lugar por vez, ele não pode ficar em mais de um lugar ao mesmo tempo. O diabo é um cachorro raivoso, porém ele está preso na vida do crente. Depois que renunciarmos a nossos direitos entregando-os para Deus, não temos o que temer do inimigo. Até mesmo uma criança que pertence a Jesus é mais poderosa do que todo um governo ateu. Deus pode libertar-nos ou então nos dará forças para sofrermos em seu nome.

Deus nos deu a sua imagem e semelhança. O mundo está indo de mal a pior, e nós cristãos, o que estamos fazendo quanto ao fato? Loren ora à Deus e Deus lhe responde com muita sabedoria. Temos 7 áreas de influência que devemos tomar posse na sociedade: Lares, igrejas, escolas, governo e política, meios de comunicação, artes e esportes, ciência e tecnologia. Na minha opnião todo crente deve pedir à Deus sua vocação, e dentro dela fazer a diferença em uma das áreas de influencia dentro da sociedade. Deus nos chama pra isso, negociarmos até sua vinda.

Se perdermos nossa vida, encontramos ela, e se tentarmos ganhá-la, vamos perdê-la. Se relamente nos entregarmos totalmente para a vontade de Deus, seremos realmente felizes e prósperos no que fizermos, seremos influentes e ganharemos o mundo!

Pontos que me impactaram:  

·         Renunciar o matrimônio;

·         Apresentar-se descalço Diante de Deus;

·         Renunciar a “carteira”;

·         Influênciar a sociedade.

 

Renunciar o matrimônio: No livro Loren conta que até o direito de se casar ele renunciou. E o mais interessante é que logo após ele se casou com a mulher perfeita pra ele. Deus usa disso talvez para provar-nos, ver se realmente estamos dispostos a seguilo e a realmente largar mão de tudo por Ele. Confesso que na minha vida este é um ponto bem intrigante. É dificil pra mim pensar que o tempo é dEle e que na hora certo a pessoa certa irá aparecer pra mim, ou alguma pessoa que eu já conheço fará despertar em mim um amor que vem de Deus, ou até mesmo que não me casarei. A bília fala que não é bom para o homem que fique só, e pra mim isso é 100% verdade, espero que Deus veja isso. Tenho um pouco de temor, porém eu dou à Deus este direito também, por mais penoso que seja talvez pensar que ficarei só esperando “alguém” enviada por Deus aparecer na minha vida no momento certo. Mais estou disposto a esperar quando estiver pronto, por mais penoso que seja, esperarei e renuncio o meu direito de me casar um dia. Afinal, acho que hoje o meu maior sonho é construir uma família.

Apresentar-se descalço Diante de Deus: Nas ocasiões da bíblia onde isso acontece é na minha opnião bastante demonstrativo sobre o que significa “estar descaço diante de Deus”. Estar em uma posição de escravo, totalmente dependente de Deus, totalemente dependente em todos os aspectos, totalmente dependente pra viver. Escravo por opção foi como Paulo se declarou, e pessoalmente acho uma idéia meio estranha, talvez pelo fato de que na minha mente venha apenas a lembrança de imagens e vídeos de pessoas sendo escravidas, no sentido de maus-tratos, apanhando e sofrendo na mão dos seus senhores. O engraçado é que Deus não é mau, muito pelo contrário, Ele é “a bondade”. O sentido de ser escravo não é de ser maltratado, e sim de ser dependente. Deve ser porisso que a idéia vem meio conturbada. Eu quero também ser escravo por opção!

Renunciar a “carteira”: Um dos pontos mais fortes, pois é muito verdade hoje em dia. Muitos dos nossos “líderes” tem usado da boa vontade de muitos crentes hoje em dia, literalmente “roubando” a galera. Esse é um fato nos dias atuais, e talvez por isso a desconfiança seja tão grande nas igrejas. Pessoalemente na minha igreja, quando começavam a falar de dizimos eu já abaixava a cabeça pensando: “Deus não quer nem saber de dinheiro”. Más hoje eu entendo a importância que o próprio Jesus sempre deu ao dinheiro, porque é por ele que temos acesso a muitas coisas. O Reino de Deus aqui na Terra é sim agravado pelo dinheiro, se não houver uma sensibilidade mútua dos crentes, o Reino de Deus dificilmente irá se propagar. Deus é o Deus da prata e do ouro também, Ele pessoalemtne não precisa de dinheiro pra nada, más nós precisamos. Ele não tem fome, nós temos, Ele não tem que tomar banho porque não fede, nós fedemos, Ele não precisa vestir roupas, nós precisamos. Deus não precisa, nós precisamos, e muitos dos outros filhos de Deus precisam bem amis do que nós, porém agente não faz quase nada para mudar isso. Muitas pessoas em todo mundo passam fome, não tem o que vestir nem onde ficar. Se todos os cristãos do mundo tivessem uma “renovação da mente”, poderíamos acabar com a fome no mundo. Porém o que está faltando pra isso? Eu quero fazer a diferença no mundo.

Influênciar a sociedade: Hoje em dia nós os crentes separamos o sagrado e o secular, como se o mundo fosse divido em dois mundos, um gospel e outro do demônio. O maior problema é que taxamos muitas das coisas que Deus nos deu como se fossem do diabo, ou seja, damos ao diabo coisas que não são deles, e ele como é astuto, usa contra o Reino de Deus. Deus agora nos deu áreas de influência na sociedade, e precisamos nos dispor a fazer a diferença em todas eles. Por exemplo, as crianças hoje em dia cressem aprendendo em escolas humanistas, aprendendo que Deus não existe. Automaticamente qual possivelmente será a cabeça dessa criança quando crescer? Humanista. Imagine se nós os cristãos fizermos a diferença na sociedade na área de educação, ensinando as crianças tudo que Deus criou, porém com os princípios cristãos. Antigamente a maioria dos cientistas eram cristãos muitos fisicos, matemáticos entre outros, por exemplo Issac Newton, Blaze Pascal. Hoje ainda existem alguns cientistas cristãos, más imagina se fizessemos a diferença em uma forma tão grande como fizeram antigamente. Más qual será a causa de que as coisas mudaram? Simplesmente o cristão começou a dividir coisas entre sagrado e secular. O diabo tem usado coisas que nós, que somos os reais mordomos, não temos usado. O nosso dever é entrar nas ásreas de influência e inflenciar as pessoas, mostrando que Deus é o Deus da ciência, física e tudo mais. Temos esse poder, e pessoalmente, não quero dar um dom que Deus me deu ao diabo, quro usar e mostrar para o mundo que Deus é a sabedoria!